A evasão nos cursos de idiomas

O que leva um aluno a desistir do seu sonho

Quando um novo aluno se inscreve num curso de idiomas, ele está cheio de sonhos: tornar-se bilíngue, realizar uma viagem ao exterior, encontrar um bom emprego, aumentar o seu salário ou conseguir uma promoção, ser bem-sucedido nos estudos acadêmicos, etc.

Mas o fato é que muitos alunos desistem do curso no meio do caminho, antes mesmo de terem cumprido a meta que os levou a inscrever-se no curso. Como explicar tal evasão? Para cada razão ventilada, qual seria a possível solução ou possíveis soluções?

A sua participação é muito importante para o esclarecimento da questão e o enriquecimento do nosso blog.

10 comentários:

Joaquim Octavio Oliveira disse...

A PRIMEIRA IMPRESSÃO É A QUE FICA:
Assim sendo, os primeiros contatos com o curso têm valor fundamental. Há quem desista do curso, antes mesmo de se inscrever. Por exemplo, quem gosta de ficar ouvindo musiquinha ou propaganda, enquanto aguarda na linha? Ou então “Curso Tal, bom dia, só um momento!” Que falta de cortesia é essa, para não dizer falta de educação!
A primeira aula deve ser especialmente atrativa e acolhedora. Ela tem o poder de cativar o aluno ou espantá-lo de uma vez por todas. Ela deve ser, portanto, nota dez, “pra ninguém botar defeito”. Afinal , o grande patrimônio do curso é o aluno!

Nadir disse...

É importante adotar o idioma estrangeiro como “língua oficial” da sala de aula. Porém, é preciso saber fazer isso. Muitos recursos visuais - imagens, vídeos, encenações, gestos, etc. – deverão ser usados para dar sentido ao discurso e permitir a comunicação.
Professor que fala o tempo inteiro a língua estrangeira, sem se fazer entender, espanta os alunos logo no início. Alguns alunos chegam mesmo a pensar que o defeito é deles, que eles não têm “queda” para aprender um segundo idioma.

Ruben Regen disse...

Hoje em dia, mais do que nunca, o ditado é certo: "Tempo é Dinheiro". Assim sendo, professor que joga conversa fora, ao invés de ensinar, perde aluno. O aluno sente que está perdendo o seu tempo, além de ter que pagar por isso. As aulas devem ser planejadas. Toda aula tem que ter objetivo e ser rica em conteúdo. O aluno deve sentir que está aprendendo e aproveitando cada minuto da aula, assim como cada centavo gasto com o curso.

Juan disse...

Há alunos muito esforçados que, contra todos os obstáculos, como falta de tempo para estudar e fazer trabalhos de casa, se inscrevem num curso de idiomas. A intenção é reservar a hora do curso para treinar o idioma. É a maneira que encontram para manter o vínculo com a língua estrangeira.

No entanto, quando se deparam com um professor inflexível, que cria situações de constrangimento cobrando trabalhos de casa, pontualidade, etc. acabam forçados a abandonar o curso.

Sebastian Fonseca disse...

Numa aula em grupo, o professor deve mediar com tato as intervenções dos alunos. Por exemplo, ele deve desviar o assunto quando acontecer comentários preconceituosos, querelas políticas ou religiosas, etc. Deverá usar o tato também para controlar o tempo de fala dos alunos. O professor que deixa um único aluno dominar toda a aula, falando o tempo todo, enquanto os outros ficam de meros ouvintes, demonstra falta de domínio de turma e desagrada a maioria que se sente prejudicada por não conseguir participar. Quando os alunos insatisfeitos não têm como trocar de horário ou de professor acabam desistindo do curso.

Juliana Souza Coutinho disse...

Opiniões de alunos devem ser respeitadas, nunca corrigidas. O que deve ser melhorado é a sua proficiência na língua-alvo, jamais a sua maneira de ver o mundo. Assim sendo, o aluno não deve nunca ser criticado ou ridicularizado, ao expressar seus gostos e opiniões. Por outro lado, os gostos e opiniões do professor não interessam numa sala de aula e ele pode atrair a antipatia de alunos pela sua eventual maneira diferente de ver o mundo. Além disso, ao expor suas preferências e opiniões, o professor rouba o tempo de fala de aluno.

Amanda Muller Garcia disse...

Os alunos aprendem praticando e os erros que fazem, ao invés de serem considerados como algo negativo a ser evitado, devem ser valorizados como pistas para saber que aspectos da língua devem ser revistos e aprimorados. No entanto, os professores perfeccionistas precisam ter cuidado para não cair na tentação de interromper o discurso do aluno a todo instante para corrigir erros. Isso é desestimulante e inibe o aluno, que poderá vir a desistir do curso. O professor deve ter clareza do tipo de erro que deve ser corrigido, de acordo com o nível de conhecimentos de seus alunos, por exemplo, nível iniciante, intermediário e avançado.

Alberto Guedes da Silva disse...

Métodos inadequados fazem alunos desistirem do curso. Para adotar um método de língua estrangeira, é preciso levar em consideração o público-alvo, ou seja, determinada turma ou aluno individual. O método deve ser adequado ao perfil e às necessidades do aluno. No entanto, a maioria dos cursos de idiomas oferecem um único método e cabe ao aluno adaptar-se a ele... mesmo que este aluno esteja inscrito para aulas particulares. Isso é o fim da picada!!!

Teresa Monteiro disse...

Há casos de desistência do curso que ocorrem devido a acidentes de percurso como desemprego ou outros problemas financeiros, doença, viagem, mudança de residência, etc.

Um bom curso de línguas investiga os motivos de cada um de seus alunos desistentes e oferece estratégias para recuperá-los, sempre que possível.

Coordenador Idiomaster disse...

Aluno ou aluna da IDIOMASTER, você é o nosso grande patrimônio! Cada membro de nosso staff sabe disso e trabalha para a sua plena satisfação.

Assim sendo, a partir do primeiro contato conosco, assumimos o seu objetivo como sendo o nosso.

Temos uma equipe preparada para acompanhar o passo-a-passo da sua aprendizagem.

Caso você desistisse do seu sonho, a derrota seria nossa, pois o seu sucesso é a nossa vitória.

Recent Posts

http://www.add-digital.com.br/blog/como-usar-o-mp3-player-do-google-em-seu-site/ -Player do google para site

Wikipedia

Resultados da pesquisa