Métodos de ensino de línguas estrangeiras

Comparando os métodos de ensino-aprendizagem de idiomas

Há várias maneiras de estudar e de aprender um idioma estrangeiro.  Ao longo dos anos, os métodos de ensino de línguas estrangeiras se sucedem. Citando alguns: 

  • Método da tradução e da comparação com a língua materna;
  • Método audiolingual;
  • Abordagem cognitiva;
  • Método comunicativo.
Quais seriam as vantagens e as desvantagens de cada um desses métodos?   
Sugerimos que considerem, nas suas reflexões, o nível, a faixa etária e os objetivos dos alunos.
 

11 comentários:

Rafaela Ribeiro Leal disse...

O estudo de um idioma inclui quatro competências linguísticas: ouvir, falar, escrever e ler. O método da tradução é baseado na escrita e leitura. As outras duas competências são consideradas secundárias nesse método. Assim sendo, o método desenvolve a competência do aluno, mas por outro lado, o aluno não pratica a língua oralmente. Pode ser considerado um bom método, caso o aluno venha a ter, mais tarde, a oportunidade de entrar em contato com a língua falada.

Marina Aparecida disse...

Você já lê e escreve fluentemente numa língua estrangeira?

Parabéns, etapa vencida!

Mas quando assiste a um filme nessa língua, precisa ler as legendas, pois não entende o que as pessoas falam? E quando encontra um falante nativo? Arranha a língua, mas a comunicação é difícil?

Não perca tempo, venha para a Idiomaster para somar as duas competências orais (ouvir e falar) às habilidades que você já adquiriu no idioma estrangeiro (escrever e ler).

Joaquim Octavio Oliveira disse...

Quando o objetivo dos alunos é somente adquirir competência e, principalmente, quando eles são adultos, o método da tradução e gramática prova ser um método muito eficiente. Por um único motivo: tanto a língua materna dos estudantes como o novo idioma estão em jogo. Adultos não esquecem a língua nativa quando estudam um idioma estrangeiro. Assim sendo, a língua materna vai sempre interferir durante o processo de aquisição de uma língua estrangeira. O método da tradução se concentra nessas interferências e alerta os alunos sobre elas. Além disso, esse método é baseado na gramática. Como os adultos, em contraste com as crianças, têm dificuldades em induzir regras gramaticais, o método da tradução responde às suas necessidades, pois o professor explica as regras exaustivamente.

Marina Aparecida disse...

A IDIOMASTER adota o método da tradução e gramática, quando há demanda por parte dos alunos. Trata-se de cursos instrumentais, que preparam os alunos para uma prova de mestrado e outros fins, onde somente a língua escrita é exigida.

Nadir disse...

O método audiolingual é baseado em ouvir e falar. Seu objetivo é tornar os alunos fluentes e fazê-los falar mecanicamente, sem nenhum esforço mental. Influenciado pela linguística descritiva e pela psicologia behaviorista, a repetição é considerada um bom meio de tornar mecânico o processo de aquisição de uma língua estrangeira. Consequentemente, os defensores desse método partem do desempenho para a competência.

Juliana Souza Coutinho disse...

O método audiolingual pode ser útil para iniciantes e, principalmente, para crianças. Crianças, por natureza, gostam de imitar e, além disso, elas têm a tendência de induzir regras gramaticais. Como, nesse método, a gramática é ensinada de maneira indutiva e como a língua nativa dos alunos, supostamente, deve ser esquecida durante a aquisição do idioma estrangeiro, crianças podem aprender facilmente. Adultos, por outro lado, não imitam espontaneamente, além de gostarem de fazer comparações entre a língua materna e a língua estrangeira. Adultos também gostam quando as regras gramaticais são claramente explicadas pelo professor.

Ruben Regen disse...

Outro ponto contra o método audiolingual é o fato de que, uma vez que o professor fornece todos os modelos, sendo os alunos limitados a repetir frases e estruturas corretas emitidas de antemão pelo professor, esse método não prepara os alunos para enfrentar situações inesperadas. Eles só são capazes de repetir as frases aprendidas na sala de aula. Como esse método parte do desempenho para a competência, os alunos não conseguirão falar fluentemente sobre qualquer assunto no futuro.

Alberto Guedes da Silva disse...

O método cognitivo tem o mesmo objetivo do método audiolingual. A diferença é a maneira como aquele considera o processo de aquisição de uma língua, rejeitando a ideia de aplicar a teoria behaviorista. Ele tem por base a gramática gerativo-transformacional e seus adeptos acreditam que uma língua é adquirida através de um processo mental. Consequentemente, eles rejeitam a repetição como uma maneira de aprender um idioma e, como o método da tradução e da gramática, eles tomam por base as regras gramaticais. Referências à língua nativa são feitas, quando necessário. Eles acreditam que existem elementos universais que estão presentes em todas as línguas do mundo. Por esta razão, eles aceitam a comparação entre a língua nativa e o idioma estrangeiro estudado, já que devem existir elementos comuns entre as duas línguas. Tais elementos devem ser encontrados, pois a apresentação deles aos alunos ajudará na manipulação eficiente do idioma estrangeiro. Este método parte da competência para o desempenho, sem menosprezar o último. Certamente, as habilidades de ler e escrever são enfatizadas, mas as de ouvir e falar não são ignoradas, em contraste com o método da tradução e gramática.

Robin Blumen disse...

O método comunicativo tem por base o sentido da comunicação e o contexto, ao invés de focar as formas e as estruturas gramaticais.
Noam Chomsky revolucionou o mundo da linguística, afirmando que todo ser humano possui uma capacidade nata para compreender o funcionamento de uma língua. Assim, as crianças passam a dominar a língua materna em menos de quatro anos de observação, sem aprendizagem formal. O mesmo deve ocorrer com um adulto que aprende uma língua estrangeira, ou seja, não é necessário aprender formalmente as regras gramaticais. No método comunicativo, a língua não é mais subdividida em estruturas gramaticais, mas em uma lista de noções e funções. Essas noções e funções permitem a comunicação num país estrangeiro: apresentar-se, solicitar informações, fazer compras, fazer um pedido num restaurante, etc. São as ditas situações de comunicação.

Juan disse...

No método comunicativo, não cabe mais ao professor dar a resposta correta, a única que existe, pois o aluno tem agora a liberdade da escolha, de acordo com a mensagem que ele deseja transmitir. O professor deixa o seu posto de detentor do saber, pois a aula torna-se interativa, onde a ênfase é dada ao contexto da comunicação. Além disso, os materiais de apoio não são mais criados artificialmente para os alunos, de acordo com as estruturas gramaticais a serem trabalhadas. Eles passam a ser escolhidos no universo sem fim dos documentos autênticos: artigos de jornais e revistas, publicidade, emissões de televisão, filmes, extratos literários, videoclips, etc. O aluno torna-se, assim, preparado para as situações reais de comunicação. As quatro competências linguísticas são exploradas: ler, escrever, ouvir e falar.

IDIOMASTER disse...

A Idiomaster norteia a sua ação pedagógica pela melhor metodologia do momento, buscando sempre uma solução inovadora para o seu público adulto, que dispõe de pouco tempo e precisa aprimorar o idioma rapidamente. Isso equivale a dizer que adotamos em nossos cursos, por excelência, o método comunicativo.
Como também oferecemos cursos com objetivos específicos, não podemos ser dogmáticos, variações e mesclagens podem ocorrer para melhor servir aos fins perseguidos, sempre levando em consideração o perfil, a bagagem e o background do aluno.

Recent Posts

http://www.add-digital.com.br/blog/como-usar-o-mp3-player-do-google-em-seu-site/ -Player do google para site

Wikipedia

Resultados da pesquisa