Aprendendo em autonomia

Dicas e instruções para aprender uma língua estrangeira em autonomia

O que é aprendizagem em autonomia? Quais são as características? Qualquer estudante pode aprender em autonomia ou trata-se de uma habilidade que nem todos possuem? O que é necessário para aprender uma língua estrangeira em autonomia? Dicas e instruções.  Trunfos e limitações.
 

10 comentários:

Amanda Muller Garcia disse...

Existem critérios que permitem determinar se um trabalho ou estudo foi realizado em autonomia. O estudante autônomo é capaz de:

 traçar objetivos;
 escolher material ;
 estabelecer a progressão dos estudos.

Para ser bem-sucedido na aprendizagem em autonomia, é aconselhável estabelecer:

 o ritmo dos estudos: frequência (quantas vezes por semana?)
 o tempo: qual a hora dos estudos?
 o lugar: qual será o local dos estudos?

Joaquim Octavio Oliveira disse...

Nem todo estudante gosta de estudar em autonomia, nem se interessam por adquirir essa habilidade um dia. Por outro lado, certos pedagogos acreditam que deve-se incentivar o estudo em grupo, o qual estimularia o espírito colaborativo, enquanto que o estudo em autonomia estimularia o espírito de competição, por ser um projeto individualista. Para estes, o mais importante é o convívio social.

Nadir disse...

Estudar em autonomia e estudar em grupo são duas habilidades distintas que se completam, sendo interessante o desenvolvimento das duas.

Certamente, todos os estudantes desejariam ser autônomos. Mas muitos não acreditam que seriam capazes disso.

É por isso que, quando o aluno chega, temos de dar-lhe uma atividade em que a vitória seja certa. Se a primeira atividade tornar-se um fracasso, poderá ser difícil evitar o fracasso no curso como um todo.

Além disso, é preciso respeitar o ritmo de cada um.

"APRENDO,LOGO EXISTO."
Hélène TROCMÉ-FABRE

Juliana Souza Coutinho disse...

Em favor da autonomia do aluno:

Montaigne (França – 1533-1592)
Jean-Jacques Rousseau (França – 1712-1778)
John Dewey (EUA – 1859-1952)
Helen Parkhust (EUA – 1887-1973)
Ovide Decroly (Bélgica – 1870-1932)
A.S. Neill (Reino Unido – 1883-1973): Summerhill
Maria Montessori (Itália – 1870-1952)
Célestin Freinet (França – 1896-1966)
Paulo Freire (Brasil – 1921-1997)
Carl Rogers (EUA – 1902-1987)

Ruben Regen disse...

O maior mérito de um professor é a capacidade de ajudar seus alunos a tornarem-se intelectualmente autônomos e não, como muitos ainda pensam,ter como único objetivo a transmissão de um saber estático.

Sebastian Fonseca disse...

A pior coisa que se possa fazer com um aluno é convencê-lo de que ele não é capaz. O professor deve valorizar o aluno incessantemente para chegar a torná-lo autônomo.

O professor deve se perguntar regularmente: estou trabalhando de uma maneira “automatisante”? Sim ou não? Por quê?

Afinal de contas, toda aprendizagem é autoaprendizagem.

Alberto Guedes da Silva disse...

Não é impossível tornar-se capaz de estudar em autonomia na adolescência, na juventude ou ainda na fase adulta. Mas o ideal é criar o hábito desde a infância. E para tanto, a criança precisa ter horas de isolamento para desenvolver o gosto pela leitura e pelos estudos. Criança que está o tempo inteiro rodeada por outras crianças terá dificuldade de concentração para estudar.

Na escola, para que o aluno não se torne um individualista, é preciso alternar trabalho em grupo e trabalho individual.

Uma vez capaz de desenvolver seus estudos em autonomia, qualquer lugar é propício, em casa, numa praça, num ônibus... e a qualquer hora vaga. Fora do conforto de uma biblioteca ou do lar, o estudante saberá o que poderá abordar de acordo com a hora e o local onde se encontra.

Liza Santana disse...

Hoje em dia é muito fácil estudar uma língua em autonomia. Seja qual for o nível do estudante. As novas tecnologias facilitam. Principamente o PC e até mesmo o celular. Aplicativos, e-books, dicionários digitais e on-line, interação via chat com falantes nativos, podcasts, vídeos, etc.

Simone Amaral disse...

As indicações abaixo são todas gratuitas e disponíveis em vários idiomas:

1) Comunidade de aprendizagem de idiomas: Livemocha
http://livemocha.com/

2) dicionário: WordReference
http://www.wordreference.com/

3) dicionário de pronúncia com áudio: Forvo
http://pt.forvo.com/pronounce/

4) Atividades lúdicas para estudantes iniciantes, intermediários e avançados: Selingua
http://www.wartoft.se/software/selingua/

É só procurar na WEB que encontrará muito mais. Principalmente para idiomas específicos, pois os que citei são válidos para várias línguas.

Coordenador Idiomaster disse...

Na IDIOMASTER procuramos informar para formar. Formar nossos alunos em bilíngues autodidatas, capazes de acompanhar a atualização constante por que passam os idiomas nas mais diversas áreas do conhecimento e situações de comunicação. Não nos limitamos a vender o peixe. Ensinamos nossos alunos a pescar.

Recent Posts

http://www.add-digital.com.br/blog/como-usar-o-mp3-player-do-google-em-seu-site/ -Player do google para site

Wikipedia

Resultados da pesquisa